Elias Diniz propõe reajuste de 12% para os servidores públicos municipais, proposta será encaminhada à Câmara Municipal

Ultimas

O prefeito Elias Diniz anunciou nesta terça-feira, 04 de janeiro, em uma entrevista coletiva em seu gabinete, que enviará a Câmara Municipal um Projeto de Lei solicitando autorização para reajustar os salários dos servidores públicos municipais em 12%, referente ao ano de 2022, que ser for aprovado, já será pago na folha de pagamento do corrente mês.

Para que isso aconteça o Presidente da Câmara Municipal de Pará de Minas, Nilton Reis Lopes, assim que receber a proposição, deverá marcar uma reunião extraordinária até a próxima sexta-feira, 07 de janeiro para que a mesma possa ser votada em caráter de urgência pelos vereadores. O Prefeito Elias Diniz confirma sua intenção de reajustar os salários dos servidores públicos municipais em 12%:

“Nós vamos solicitar ao presidente da Câmara Municipal Nilton Reis Lopes para que ele possa fazer uma reunião extraordinária se possível até sexta-feira na qual nós vamos colocar para apreciação dos vereadores esta questão da ajuda a todos os funcionários sem exceção no total de 600 reais de uma vez só, nada de parcelamento. Da mesma forma que nós já estamos propondo a questão do reajuste salarial a partir do dia primeiro de janeiro a ser pago já agora em fevereiro. Isso vai ser apreciado pelos vereadores, mas quero antecipar pra vocês, um reajuste na ordem de 12%, isso é algo muito significativo pra todos os funcionários. O que nós queremos é o seguinte, continuar valorizando o servidor público”.  

Outra boa notícia para os servidores públicos municipais é que o prefeito Elias Diniz enviará a Câmara Municipal também outro Projeto de Lei solicitando autorização para conceder uma ajuda de custo a todos os servidores no valor de R$ 600,00, que ser for aprovado pelos vereadores o prefeito promete pagar a todos até o dia 10 de janeiro.

Esta gratificação seria concedida em 2020 sendo um valor de R$ 100,00 durante seis meses, mas isso não aconteceu uma vez que a Lei Complementar 173, do Governo Federal impedia. Mas agora o prefeito quer conceder esta ajuda aos servidores públicos municipais e vai depender única e exclusivamente dos vereadores aprovar a proposta.