Servidor mata cão a pauladas no CCZ, é afastado do cargo e responderá na Justiça pelo ato de crueldade

Pará de Minas em Destaque

A presença da imprensa foi solicitada na manhã desta sexta-feira, 21 de agosto, para uma entrevista coletiva no Centro de Controle de Zoonoses para esclarecimentos sobre a morte de um cão que aconteceu na tarde da última terça-feira, 18 de agosto. O animal foi morto a pauladas por um funcionário do CCZ. Ele utilizou um cambão para matar o animal.

A crueldade repercutiu rapidamente em Pará de Minas uma vez que o cão testou negativo para leishmaniose, estava saudável e pelo fato de que, quando há necessidade de sacrificar algum animal isso é feito através de uma eutanásia para evitar que ele sofra dor. Alguns cuidadores de animais protestaram no CCZ contra a cruel morte do cão e queria esclarecimentos do funcionário que praticou a covardia sobre a morte do animal, mas para evitar confusão om autor não foi apresentado aos manifestantes.

O ambientalista e Secretário Municipal de Meio Ambiente, José Hermano de Oliveira Franco, explicou que esse foi um fato isolado e que não condiz com a realidade do CCZ onde os animais são bem tratados e informou que o autor da morte do animal foi afastado e sofrerá as penas da lei:

“A gente está tão revoltado ou mais quanto todo mundo sabe porque isso é inaceitável é completamente inadmissível principalmente porque a gente vem tentando fazer um aqui já um bom tempo, o Vander vem fazendo esse trabalho há mais tempo ainda sem condições, com muita dificuldade, com muita gente séria que se esforça, aqui está triste, está todo mundo de cabeça baixa, todo mundo triste, isso não é uma prática do centro de Controle de Zoonoses, isso não é uma pratica conforme muita gente está falando por aí. Eu venho aqui para falar do nosso repúdio também, foram tomadas todas as providências cabíveis como registro de BO, Polícia, ele vai responder todos os tramites legais que forem necessários”.

Vander da Silva Rodrigues, diretor da Vigilância em Saúde lamentou o ocorrido e confirmou o afastamento do funcionário que é contratado:

“Ele alega que foi mordido por uma cão onde não vimos mordedura nenhuma nele, mas ele alegou isso e que veio a desferir esses golpes de cambão na cabeça do animal até ele vir a óbito, de imediato eles me ligaram já era umas 3 e meia, 4 horas da tarde, quando eu cheguei no Zoonozes chamei toda equipe que participou, conversei com todos, pedi que se relatasse a punho tudo que eles viram e assinasse pra gente tomar as medidas cabíveis, no momento ele ausentou porque já era mais de 4 horas da tarde,  não veio trabalhar na quarta, na quinta ele veio eu chamei a Polícia Militar assim como a Polícia Ambiental, fizemos o boletim de ocorrência  e estou esperando a cópia do boletim para abrir um processo administrativo para eu poder tomando as providências de demiti-lo ou ver o quê que vai acontecer perante ao jurídico da prefeitura”. A morte do cachorro a pauladas desferidas por um funcionário do CCZ na tarde da última terça-feira, 18 de agosto, revoltou aqueles que amam os animais em Pará de Minas, mas providências já estão sendo tomadas contra o autor e certamente ele vai pagar muito caro pelo que fez. O Policial do Meio Ambiente registrou o boletim de ocorrência e o caso está vai também para o Ministério Público depois da apuração de todo acontecido.