Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 confirma novo decreto com vigência até 22 de abril e Pará de Minas segue na onda roxa

Pará de Minas em Destaque

O governador Romeu Zema anunciou na manhã do dia 15 de abril, em entrevista coletiva concedida na Cidade Administrativa, o avanço da Onda Roxa para a Onda Vermelha da Região Metropolitana de Belo Horizonte e da maioria das outras macrorregiões de saúde. De acordo com o chefe do Executivo a decisão acontece após bons resultados do período de maior clausura em todo estado.

De acordo com isso e com decisões técnicas da Secretaria Estadual de Saúde, várias regiões avançaram da Onda Roxa para a Onda Vermelha, dentre elas a Região Metropolitana de Belo Horizonte, a cidade de Curvelo, a microrregião de Manhuaçu e também o total da região Triângulo Norte e Sul, partes que ainda não estavam incluídas.

As macro Jequitinhonha, também avançaram, a macro Norte, lembrando que apenas parte dela estava na onda roxa, Sudeste e Sul. Então, o estado, provavelmente em termos de área, 60%, 70% dele está agora já na Onda Vermelha. 

O governador também lembrou a importância de as pessoas continuarem se cuidando. De acordo com Zema, a Onda Roxa foi um “extremo” e as prefeituras que agora estão na Onda Vermelha não devem comemorar esse avanço. “Estamos longe de termos conforto, isso tem de ficar muito claro. Ainda temos um sistema hospitalar que opera com uma carga pesada, os profissionais de saúde estão cansados. As vagas são poucas, então nós temos de lembrar que precisamos continuar tomando todos os cuidados”, afirmou o governador.

Romeu Zema destacou que é preciso ter muita cautela. “Essas regiões que estão migrando para a Onda Vermelha devem estar pensando em como adotar medidas para que elas não precisem retornar para a Onda Roxa. Não estamos falando de situação confortável, estamos falando de situação que ainda demanda todos os cuidados necessários”, afirmou o chefe do poder executivo estadual.

As cidades da Onda Vermelha poderão reabrir as atividades consideradas não essenciais, desde que cumpram regras, como distanciamento e limitação máxima de pessoas. Essa medida, contudo, é opcional a cada município, que pode gerir a retomada comercial à sua maneira. Algumas microrregiões contidas nas macro Noroeste, Norte, Sul já estavam na onda vermelha, mas as macro, como um todo, ainda não.

Pará de Minas que pertence a macrorregião Oeste, continua na onda roxa, fase mais restritiva do plano Minas Consciente por pelo menos até o dia 22 de abril. Esta decisão foi tomada na reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19, realizada na manhã da última sexta-feira, 16 de abril, de forma online e que contou com representantes das academias, do comércio além dos membros que fazem parte do Comitê. O procurador geral do município de Pará de Minas Hernando Fernandes da Silva, explicou o que foi deliberado na reunião do Comitê na manhã da última quinta-feira, 16 de abril:

“O município não pode ser irresponsável de ir contra o Estado, isso que é responsabilidade, atender as deliberações do Estado de Minas Gerais. A macrorregião Oeste que Pará de Minas faz parte está na onda roxa, motivo pelo qual nós estamos deliberando um novo decreto para Pará de Minas que terá vigência até o dia 22, vamos reduzir o prazo, até o dia 22 de abril, na esperança de que nesta data o município possa ser classificado na onda vermelha, aí volta-se as deliberações, todas as decisões para nós. Nós vamos tentar fazer de tudo para flexibilizar aquilo que for possível gradativamente”.

As academias que entraram com requerimento solicitando a retomada dos trabalhos nos espaços, retiraram o documento concordando com atual cenário que é muito grave e número de mortes por Covid-19 continuam aumentando em Pará de Minas.

A maioria dos donos de estabelecimentos que estavam pedindo a abertura do comércio entenderam a situação e também retiraram o pedido mostrando que eles estão juntos com o Comitê neste momento tão delicado da pandemia.

O Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus em Pará de Minas oficializou as normas que prevalecerão no município durante a nova vigência da Onda Roxa, até 22 de abril. O distanciamento social continua, o comércio lojista continua funcionando com retirada de mercadorias no balcão e recebimento de prestações, até às 20 horas. Após este horário, somente o serviço de delivery será permitido.

Quanto aos supermercados e padarias, continuam funcionando até às 22 horas, mas o consumo de produtos nos estabelecimentos comerciais continua proibido. Essas novas medidas já estão em vigor, com a publicação imediata do novo Decreto Municipal com vigência até o dia 22 de abril. Para as demais atividades empresariais não houve alterações, ou seja, continuam suspensas dentro do Plano Minas Consciente, que está regendo totalmente as decisões na Onda Roxa.