“Etiqueta da Gripe” é fundamental para evitar novos contágios

Pará de Minas

O Brasil enfrenta um surto atípico do subtipo H3N2 do vírus Influenza, vírus da gripe. A infecção causada pelo H3N2 gera sintomas respiratórios clássicos (coriza, tosse), dá um mal-estar intenso, dor de garganta, dor no corpo, dor de cabeça, fraqueza, febre e é mais perigosa para idosos, crianças e portadores de comorbidades.

A transmissão da maioria das doenças que atingem o aparelho respiratório se dá por meio de secreções liberadas pela pessoa infectada ao tossir, espirrar ou falar. Apesar de ser uma forma eficaz de eliminar secreções, a tosse é um dos caminhos de transmissão de doenças entre as pessoas.

Além da Gripe, várias outras doenças de transmissão respiratória, causadas por todos os tipos de vírus, bactérias e fungos podem ser transmitidas por meio da tosse ou espirro. Frear a transmissão exige atitudes coletivas. Por isso é importante tomar alguns cuidados de etiqueta na hora de tossir ou espirrar

Na rua

Cubra o nariz e a boca.

Se não tiver lenço, procure um local para lavar as mãos.

Tossir com etiqueta pode prevenir a disseminação de vírus como os da gripe e até evitar uma epidemia.

Use máscara.

Ambientes públicos, fechados e com pouca circulação de ar também são favoráveis para a transmissão das doenças. Algumas dicas nestes ambientes são:

Na escola ou no trabalho

Em caso de doença febril com tosse, o melhor é evitar sair de casa, pois em escolas, creches ou no local de trabalho, o contato é bastante próximo. Mas se não for possível, respeite as regras de etiqueta da tosse.

À mesa

Quando a tosse aparecer, vire-se de lado, com a cabeça baixa e coloque o antebraço junto à boca.

Se a tosse continuar, se levante e deixe o local.

Procure beber água e espere a crise passar.

Cinema ou teatro

Procure sentar nas poltronas laterais das fileiras.

Quando tossir, utilize a etiqueta da tosse ou saia da sala até que a crise passe.

O que é Gripe Influenza? 

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, provocado pelo vírus da influenza, com grande potencial de transmissão sendo responsável por elevadas taxas de hospitalização.

O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.

Outras medidas de prevenção

Orienta-se a adoção de outras medidas gerais de prevenção para toda a população. Tais medidas são comprovadamente eficazes na redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, como o vírus da gripe e do coronavírus, mas não substituem vacina:

– Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel, principalmente antes de consumir algum alimento;

– Utilize lenço descartável para higiene nasal;

– Evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Mantenha os ambientes bem ventilados;

– Evite contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

– Evite aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);

– Adote hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

Em caso de gripe, procure seu médico ou a unidade mais próxima para diagnóstico e tratamento adequados.

Fonte: SES/MG

Deixe um comentário